Postagem do Herton Escobar, ESTADÃO – CIÊNCIA.

Basta aproveitar melhor as áreas que já foram abertas, com boas práticas agrícolas e boa tecnologia, garante o especialista Eduardo Assad. Ele será um dos palestrantes do próximo USP Talks, sobre modelos de desenvolvimento para a Amazônia, dia 25 de outubro.

Madeira, gado, soja. Esse tem sido o cardápio de exploração econômica da Amazônia até agora, com perdas significativas de cobertura florestal ao longo das décadas. A retórica de que é preciso derrubar a Amazônia para produzir riqueza, porém, não encontra mais sustentação nos fatos. “Não há nenhuma necessidade de se aumentar o desmatamento para aumentar a produção agropecuária. Esse argumento é ultrapassado”, diz o pesquisador Eduardo Assad, da Embrapa Informática Agropecuária.

Os 76 milhões de hectares já desmatados, segundo ele, são mais do que suficientes para aumentar a produção de carne e grãos — basta fazer um melhor uso dessas terras. “Se considerarmos as boas práticas agrícolas e as condições mais adaptadas de manejo e conservação dos solos da região amazônica, a possibilidade de termos uma agricultura mais sustentável na região é muito grande”, diz o pesquisador, um dos maiores especialistas no assunto no país (leia entrevista abaixo).

 Assad será um dos palestrantes do próximo USP Talks, dia 25 de outubro, sobre modelos de desenvolvimento para a Amazônia. O evento é aberto, gratuito, e terá transmissão ao vivo pela internet. O outro palestrante será o pesquisador Carlos Nobre. Veja os detalhes e confirme sua presença aqui: USP Talks #16: Amazônia.
Fonte – Estadão:
, , ,
Similar Posts