DENÚNCIA GRAVÍSSIMA – AGROTÓXICOS
– “Pesticidas: a Suíça exporta produtos proibidos para países em desenvolvimento (Argentina, Brasil, Camarões, China, Índia, Paquistão, Peru e Tailândia)”.
– “Foi uma bomba que a ONG suíça Public Eye (https://www.publiceye.ch/fr) revelou em maio de 2017 , depois de obter documentos confidenciais da administração federal: a Suíça vem exportando pesticidas perigosos e proibidos ao seu território por mais de dez anos ! Seus nomes? Atrazina e paraquat. “Estes são os pesticidas mais tóxicos do mundo para a saúde e o meio ambiente”, adverte a ONG”.
… A atrazina é um disruptor endócrino que afeta o sistema reprodutivo e aumenta o risco de câncer. Quanto ao paraquat, causa milhares de envenenamentos a cada ano e está associado a várias doenças crônicas, incluindo a doença de Parkinson . E o mais chocante nas denúncias da ONG é que essas substâncias perigosas foram exportadas entre 2012 e 2016 para a Argentina, Brasil, Camarões, China, Índia, Paquistão, Peru e Tailândia. Em suma, principalmente países em desenvolvimento. Mas a França não tem lição a dar ao seu vizinho, já que também exporta atrazine para a África, a Ásia … E, ao contrário da Suíça, não é necessário obter dados confidenciais: exportações de a Agência Europeia dos Produtos Químicos (ECHA) no seu site!
… “Uma violação dos direitos humanos”
“Para os Relatores Especiais das Nações Unidas sobre Resíduos Tóxicos e Direito à Alimentação, expondo pessoas em outros países a toxinas que demonstraram causar sérios problemas de saúde e pode até levar à morte, é uma violação dos direitos humanos “, disse a ONG Public Eye, que desafiou o parlamento suíço através da ecologista Lisa Mazzone, assessora nacional (equivalente a um membro da França) .
Para os países da União Europeia, “é o Ministério do Meio Ambiente responsável por essas autorizações de exportação” , diz a ECHA. Por enquanto, na França, é o silêncio de rádio do lado do ministério da transição ecológica e solidária. Mas a urgência é colocada, de acordo com a ONG suíça. “Os pesticidas são responsáveis ​​por cerca de 200.000 mortes por intoxicação aguda todos os anos, 99% dos quais ocorrem em países em desenvolvimento” , diz ela.

Site da Public Eye: https://www.publiceye.ch/fr/

Veja matéria em original em Sciences Et Avenir.

Similar Posts