BEIJING, 14 de dez (Diário do Povo Online) – É esperado que a China complete o gasoduto de gás natural Rússia-China até ao final de 2020, pelo qual serão enviados 38 bilhões de metros cúbicos anuais de gás natural provenientes da Rússia para território chinês, segundo a China National Petroleum Corp (CNPC).
A primeira fase da conduta que liga Heihe, na província de Heilongjiang, e Changling, na província de Jilin, será concluída em outubro de 2019, com os restantes gasodutos domésticos, que ligam Changling a Shanghai, concluídos no final de 2020, revelou a CNPC na quarta-feira.
Li Li, diretor de pesquisa de energia da ICIS China, uma empresa de consultoria que fornece análises de mercado de energia, disse que “a conclusão do gasoduto de gás natural vai ajudar a aliviar a escassez de gás natural na China ao mesmo tempo que diversifica o fornecimento de energia do país”.
A demanda chinesa por gás natural continuará a aumentar até 2040, ultrapassando a produção doméstica em cerca de 43%, de acordo com um relatório divulgado recentemente pela Agência Internacional de Energia.
Na China, a produção anual de gás será mais que duplicada, para 340 bilhões de metros cúbicos, em 2040, tentando acompanhar o consumo, que crescerá ainda mais rápido, atingindo os 600 bilhões de metros cúbicos, pode ler-se no relatório.
Este gasoduto é uma ramificação do gasoduto Rússia-China, denominado “Poder da Sibéria”, que fornecerá à China gás natural durante 30 anos, com uma capacidade anual prevista de 38 bilhões de metros cúbicos.
A conduta de 3,371 km, que tem início em Heihe, passa por Heilongjiang, Jilin, Mongólia Interior, Liaoning, Hebei, Tianjin, Shandong e Jiangsu, terminando em Shanghai.
Os trabalhos na seção russa começaram em 2014 no leste da Sibéria e em 2015 na China.
Han Xiaoping, diretor de informação da China Energy Net Consulting, afirmou que os dois países, o segundo maior consumidor de energia do mundo e o maior produtor mundial de energia, sempre se complementaram como produtor e exportador
O gasoduto, um dos mais recentes exemplos de cooperação energética entre a China e a Rússia, beneficia ambos os países, asseverou.
O gasoduto “Poder da Sibéria” é um dos maiores projetos da relação sino-russa. Os dois países assinaram um acordo de 30 anos no valor de 400 bilhões de dólares em 2014 para entregar 38 bilhões de metros cúbicos de gás russo para a China anualmente.

Veja matéria original AQUI.

, ,
Similar Posts